• 18 de junho de 2024

Neurologista Dr. Diego: “Já ouviu falar sobre neuralgia pós-herpética?”

 Neurologista Dr. Diego: “Já ouviu falar sobre neuralgia pós-herpética?”

A neuralgia pós-herpética (NPH) é uma condição dolorosa que ocorre após uma infecção por herpes zoster, também conhecido popularmente como cobreiro. O herpes zoster é uma infecção viral que ocorre devido à reativação do vírus da varicela-zoster, que permanece latente no corpo após uma infecção de catapora (varicela), geralmente na infância. Quando o vírus é reativado, ele pode causar uma erupção cutânea dolorosa e bolhas na pele, conhecida como herpes zoster. A neuralgia pós-herpética é mais comum em adultos mais velhos (chega a ser de 9,1 por 1000 pessoas por ano acima dos 75 anos de idade), especialmente aqueles com sistemas imunológicos enfraquecidos, mas também pode afetar pessoas mais jovens.

Após a fase aguda do herpes zoster, algumas pessoas desenvolvem neuralgia pós-herpética (quando a dor dura mais do que 30 dias), que é caracterizada por dor persistente e intensa na área afetada pela erupção cutânea (vesículas). Esta condição ocorre devido ao dano nos nervos durante a infecção por herpes zoster, levando a sinais de dor crônica que podem durar semanas, meses ou até anos após a cura das lesões cutâneas. A erupção cutânea inicial e a dor subsequente não ultrapassam a linha média do corpo, permanecendo unilateral (em apenas um lado) e restrito à área de inervação daquela região (chamado de dermátomo).

Os sintomas da neuralgia pós-herpética incluem dor lancinante, queimação, formigamento ou coceira na área onde as erupções cutâneas estavam presentes. A dor pode variar de leve a intensa e pode ser desencadeada por estímulos leves, como o toque da roupa ou o vento na pele. A morbidade ocorre não somente pela dor, mas também pela limitação funcional e perda do contato social, que pode levar a sintomas depressivos.

O tratamento da neuralgia pós-herpética pode ser desafiador e muitas vezes envolve uma abordagem multimodal para controlar a dor e melhorar a qualidade de vida do paciente. São tentadas várias medicações e combinações de terapias, inclusive psicoterapia para auxílio dos sintomas psicológicos e são ajustados de acordo com a fase aguda do herpes ou da neuralgia pós-herpética.

Como o tratamento é complexo, algumas vezes é necessário o uso do tratamento intervencionista, que consiste em bloqueio epidural com anestésicos e corticoides, bloqueio de nervos simpáticos, radiofrequência ou estimulação medular.

É importante que os pacientes com neuralgia pós-herpética trabalhem em estreita colaboração com uma equipe de profissionais de saúde, incluindo médicos, fisioterapeutas e psicólogos, para desenvolver um plano de tratamento individualizado. O tratamento precoce e adequado pode ajudar a controlar os sintomas e melhorar a qualidade de vida das pessoas que sofrem dessa condição dolorosa. Assim, no momento em que perceber alguma alteração de sensibilidade local ou vesículas em queimação, procure logo um médico para fazer o diagnóstico e iniciar o tratamento. Forte abraço.

Locais de atendimento:
Passo Fundo – Rua Teixeira Soares 1117, sala 501, tel (54) 3622-2989/3622-2990
Palmeira das Missões – Rua Rio Branco, 989, Sala 301, Edifício Athenas, Centro – Tel (55) 3742-4909
Frederico Westphalen – Clínica Raimed, Rua Tenente Portela 435, tel (55) 3744-3100

Canoas Mais

Noticias Relacionadas