• 20 de julho de 2024

Gerson Luís Batistella: “A educação como prioridade da administração pública em 2022, será?”

 Gerson Luís Batistella: “A educação como prioridade da administração pública em 2022, será?”

O ano de 2021 se despede e, como fazemos todos os anos, esperamos que 2022 seja diferente!

Gerson Luís Batistella

Quando falamos diferente associamos à expectativa de algo muito melhor, em todos os aspectos da nossa vida. Almejamos realização pessoal, financeira, profissional e emocional, objetivos condizentes à nossa condição humana, dotada de potencialidades e necessidades a serem satisfeitas!

Nessa seara olhamos para os nossos municípios, para os nossos gestores públicos e queremos que eles leiam e compreendam as nossas necessidades enquanto cidadãos e contribuintes de tributos. Passamos os últimos dois anos pressionados por uma pandemia, pelo temor, pelo descrédito e pelas brigas no campo político ideológico. Os efeitos dessa pandemia, em todas as áreas, são perceptíveis e comuns a todos, quase que indistintamente. O tema Saúde foi o mote desse período e continuará sendo.

Precisamos olhar para o ano que se inicia como mais um recomeçar, reconstruir, produzir, fazer acontecer. Sim, é um ano de eleições e com elas muitas promessas, muitas repetidas e não cumpridas e novamente trazidas, momento de eleger políticos, quem sabe renovar muitos deles, preferencialmente a maioria talvez, até para que se oportunizem novas ideias, novas visões, outros pontos de vista, outras crenças, somos um país de esperançosos, sempre, sempre acreditamos que é um país que tem tudo para dar certo, bastam as pessoas certas, nos lugares certos, mas que façam a coisa certa!

O novo ano é oportunidade de renovar metodologias de trabalho, de valorizar pessoas e relações. No campo da gestão pública é momento de planejar ações e decisões que visem à efetiva resolução de problemas estruturais de nossos municípios. Embora muitos projetos sejam exitosos, há outras questões que merecem dos nossos gestores um olhar além da retórica ou das boas intenções. A educação é uma delas. É momento de olhar para os professores municipais, em especial, não apenas no campo de suas remunerações, mas na estrutura que lhes é oferecida para que os nossos níveis educacionais efetivamente se alterem. Passemos pela disponibilização de equipamentos e sistemas informatizados, pela oferta a esses profissionais de qualificação, tanto de graduação como de pós-graduação em suas áreas. Afinal, colocar dinheiro no item Educação não é apenas reformar e manter fisicamente as condições de uma escola, mas sim, de investir, na concepção da palavra, na melhoria da formação e das estruturas existentes. Sabemos que alguns profissionais da área da educação, mas uma minoria, estejam cansados e desmotivados, mas a criança, o jovem, ou seja, o nosso estudante é o bem a ser trabalhado para os outros anos que virão pela frente.

Se hoje as empresas tem dificuldades em recrutar pessoas para fazer parte do grupo de colaboradores, seja pela ausência de formação mínima, inclusive em questões comportamentais e emocionais, em conhecimentos ou formação técnica, imaginemos a crise que se abate sobre a existência de educadores, cada vez mais raros em muitas áreas de formação, como português, matemática, química, história, etc…

Portanto, que o ano de 2022 seja o ano da educação valorizada por nossos municípios e estados, pelos seus gestores e pela sociedade que é a recebedora de todo esse processo de formação. Sabemos que construir metros quadrados é mais rápido e mais visível a olhos de eleitores, mas a educação demanda tempo de desenvolvimento, de maturação para após termos a colheita. Que passemos a olhar para ela como uma semente que, uma vez plantada, seja regada e adubada, somente assim, teremos a flor ou o fruto dessa semente. Pensemos sobre isso! Um grande e feliz 2022 a todos!

¹Gerson Luís Batistella. Administrador, professor da disciplina de Gestão Pública da URI – Frederico Westphalen, Professor Instrutor da Escola Superior de Gestão e Controle do Tribunal de Contas do Estado RS (TCE-RS) e Coordenador Regional do TCE/RS em Frederico Westphalen.

Canoas Mais

Noticias Relacionadas