• 19 de junho de 2024

Candidato que portava Bandeira do Brasil registra queixa na DP de Frederico Westphalen por agressão sofrida em Taquaruçu do Sul

 Candidato que portava Bandeira do Brasil registra queixa na DP de Frederico Westphalen por agressão sofrida em Taquaruçu do Sul
DIVULGAÇÃO

Clênio Favin (Podemos), candidato a Deputado Federal registrou na manhã deste domingo,31, ocorrência na Delegacia de Polícia de Frederico Westphalen, alegando que na noite deste sábado,30, foi agredido por pelo menos duas pessoas, ao participar de um jantar na localidade de Santo Antônio, em Taquaruçu do Sul, no Norte do Estado, por portar a Bandeira do Brasil. Ele teve ferimentos na boca, nariz e supercílios e foi medicado, ainda na noite de sábado, no Hospital Divina Providência (HDP) de Frederico Westphalen. Não houve necessidade de fazer pontos, apenas curativos.

Favin relatou à Polícia que ingressou no pavilhão onde ocorria um jantar beneficente com a presença de mais de 500 pessoas. “Em todos os eventos eu carrego a Bandeira e no local fui hostilizado e agredido a socos por pelo menos duas pessoas que não aceitavam que eu portasse a Bandeira do Brasil”, relatou. Ele disse que reagiu às agressões.

A Polícia Civil de Frederico Westphalen registrou a ocorrência. O caso será investigado pela Delegacia de Polícia de Vista Alegre. O caso também será também encaminhado ao Ministério Público Eleitoral.

Ele se manifestou nas redes sociais:

“Ao participar de um jantar beneficente na comunidade de Santo Antônio no município de Taquaraçu Do Sul, durante o evento eu carregava a bandeira do Brasil no ombro, fui informado que deveria guardar a bandeira pois tinha pessoas no local que não haviam gostado, como estamos em um país livre, continuei ali com a bandeira no ombro.

Tempo após fui chamado com sinais, a conversar com um pessoal em uma mesa, ao chegar na mesa dois dos agressores começaram a me ofender verbalmente e falando que o preço do óleo tava muito caro, me afastei da mesa e nesse momento eles vieram em minha direção me dando socos, tentei revidar, porém fui atingido várias vezes e me derrubaram no chão, ao conseguir levantar, novamente tentaram vir ao meu encontro, tive que sacar minha arma da cintura para consegui intimida-los, não deixando que se aproximassem de mim novamente, mesmo muito agredido mantive a calma e graças ao meu alto controle não disparei nenhum tiro, e assim consegui sair do local.

A bandeira brasileira realmente incomoda a esquerda do país, nós brasileiros devemos ter orgulho de nossa bandeira, e quem não gostar que se mude pra Venezuela. Precisamos combater esse tipo de marginais que se dizem brasileiros, nossa bandeira jamais será vermelha, estou com o corpo ferido mas com a alma intacta para cada vez mais ajudar a passar a limpo meu amado Brasil. Não sou covarde, não vão me calar, já trabalhei na brigada militar por 28,5 anos, sempre em defesa de nossa sociedade mesmo pondo em risco minha própria vida, mas se precisar continuarei até quando meu corpo não aguentar mais, mas NOSSA BANDEIRA JAMAIS SERÁ VERMELHA.

PRECISAMOS SALVAR O BRASIL!!!”, finalizou.

Crédito: ZILDA FAVIN    DIVULGAÇÃO

Canoas Mais

Noticias Relacionadas